AQUI SERÃO ABORDADOS OS PRINCIPAIS TEMAS PEDIÁTRICOS E TENTAREMOS ESCLARECER AS PRINCIPAIS DÚVIDAS APRESENTADAS NAS CONSULTA

DUVIDA5

 

Tummy Time

Tummy Time

  No último post falamos sobre o “Back for sleep”. Posicionar o bebê de costas é a forma mais segura dos bebês dormirem, com menor risco de morte súbita. Embora seja importante colocar o seu bebê de costas para dormir, também é necessário estimulá-lo de barriga para baixo. Você deve colocar o bebê de barriga para baixo quando ele estiver acordado e alerta. Coloque-o em sua barriga ou em uma superfície sólida como o chão. Posicione um brinquedo na frente dele e o envolva na brincadeira. Realizando essa atividade...

Leia mais

Sono Seguro

Sono Seguro

  Visando promover o sono seguro, em 1994 o instituto nacional de saúde infantil e  a academia americana de pediatria lançaram o “Back to sleep”, uma campanha de sensibilização e educação da população para reduzir a síndrome da morte súbita. A campanha estava focada na conscientização da posição segura do sono: Barriga para cima. A adesão à orientação foi grande, a taxa de síndrome de morte súbita caiu mais de 50 por cento e o percentual de bebês colocados de barriga para cima para dormir mais do que...

Leia mais

Retomando sua vida cultural

Retomando sua vida cultural

  Até o terceiro mês nem todos os passeios estão liberados. Nessa fase, o bebê ainda não tomou as principais vacinas e é melhor evitar lugares fechados e com aglomeração, como shoppings, restaurantes e festas de criança. Após esse período, os pais, embalados pela responsabilidade e pelo cuidado do filho, acabam se privando de algumas atividades sociais que antes faziam parte de suas rotinas. As sessões de cinema feitas especialmente para mães e seus bebês são uma opção ao retorno da vida social. Então, fica a...

Leia mais

Sabonetes

Sabonetes

    Devemos usar sabonetes na higiene dos nossos bebês? A resposta parece óbvia, mas nem sempre é assim. A barreira da pele em bebês recém nascidos é mais imatura e tende a ser mais vulnerável às ameaças ambientais. Há um maior risco de quebra da camada protetora cutânea e, consequentemente, infecção. As glandulas sebáceas garantem essa proteção e tornam a pele e os pêlos à prova d’água, prevenindo-os de se tornarem secos, ou quebradiços. A secreção sebácea também pode inibir o crescimento de...

Leia mais

Sangue de cordão

Sangue de cordão

    A reconstituição da medula óssea é uma opção terapêutica potencialmente curativa para diversas doenças. Doenças malignas e não malignas, como leucemias, linfomas, talassemia major, anemia falciforme e anemia aplásica. As células pluripotentes necessárias para a reconstituição da medula óssea são geralmente obtidas de aspirados medulares e coleta de sangue periférico de doadores. A chance de sucesso do procedimento aumenta quanto maior for a compatibilidade entre o doador e o paciente. Infelizmente, nem sempre...

Leia mais

MEL E BOTULISMO

MEL E BOTULISMO

O Botulismo é uma doença extremamente grave, causada por toxinas produzidas pelas bactérias do gênero Clostridium. O Botulismo infantil é uma forma de apresentação da doença que acomete crianças menores de 1 ano de vida, principalmente aqueles menores de 3 meses. A doença inicia com a ingestão de esporos bacterianos através de alimentos contaminados. Aí que entra o mel. O mel é uma fonte potencial de esporos causadores da doença. O alimento contaminado e armazenamento de forma imprópria permite que as bactérias esporulem. As...

Leia mais

Aula de natação

Aula de natação

  Qual a idade ideal para iniciar aulas de natação? Até 2010 a academia americana de pediatria (AAP) não recomendava aulas de natação para menores de 4 anos de idade. A orientação baseava-se na presunção de risco de afogamento para crianças imaturas do ponto de vista motor. Além de uma provável inaptidão para a natação, a falta de dados de segurança dos programas aquáticos e a preocupação de que tais programas pudessem reduzir o medo da água nas crianças foram importantes para a consolidação da orientação de...

Leia mais

Estrófulo?

Estrófulo?

  No último Post falamos sobre os repelentes e outras formas de se proteger das picadas de insetos. Mas, e se for tarde demais? O que fazer depois que elas ocorrem? Existe alergia à picada? Apesar do uso de repelentes e da adoção de outras medidas preventivas é comum as crianças serem alvo de “mordidas” de insetos, principalmente no verão. Também não é raro as crianças apresentarem reações locais e a distância à picada de inseto. Uma reação alérgica pode levar a vermelhidão, inchaço local, coçeira e...

Leia mais

Repelentes

Repelentes

Doutor, posso utilizar repelentes de insetos em crianças? Os repelentes devem declarar qualquer restrição de idade. Se não houver nenhuma, a EPA (agência de proteção ambiental dos EUA) não exige restrição à utilização do produto. Além das decisões da EPA sobre o uso de produtos para as crianças, muitos pediatras também se baseiam na opinião da Academia Americana de Pediatria (AAP). O DEET é o repelente mais amplamente disponível. Não existem estudos definitivos na literatura científica sobre qual concentração de DEET...

Leia mais

Fimose, circuncisão e postectomia

Fimose, circuncisão e postectomia

O assunto é polêmico e merece alguma reflexão.  Vamos aos conceitos: Fimose: Corresponde ao estreitamento do anel de pele que impede a adequada exposição da glande. Praticamente todos os recém-nascidos apresentam prepúcio com estas características, que os pediatras denominam fimose fisiológica. Circuncisão: Consiste na remoção total da pele do prepúcio, deixando-se a glande totalmente exposta. Forma praticada pelos religiosos. Postectomia: Remoção parcial, preservando-se quantidade de pele suficiente para recobrir a glande,...

Leia mais