potty training

No útimo mês observamos um aumento importante de casos de diarréia e vômitos entre crianças e adultos em São Paulo. Uma boa parte desses casos tiveram o Rotavírus isolado em amostra de fezes. O Rotavírus é um vírus em forma de roda e é considerado o principal responsável por diarréias em crianças de até cinco anos.

Existem diversos sorotipos diferentes de Rotavirus. Isso explica por que a criança pode ser infectada mais de uma vez e, mesmo tendo recebido a vacina, possa desenvolver a doença. A vacina protege contra sorotipos específicos mas é possível que ajude a desenvolver certo grau de proteção cruzada contra outros sorotipos.

O Rotavirus é transmitido por via fecal-oral, pelo contato direto entre as pessoas, por utensílios, brinquedos, água e alimentos contaminados.  O vírus tem um período de incubação médio de três dias.  Após esse período há início de, primeiramente, vômitos seguidos  de vômitos e diarréia por mais alguns dias e apenas diarréia no final do ciclo da infecção, que pode durar de três a sete dias.

O diagnóstico  pode ser feito por um exame laboratorial específico para pesquisar a existência do vírus nas fezes do doente. A amostra deve ser coletada nos primeiros dias da infecção.

Não existe tratamento específico para o rotavírus, apenas sintomáticos.  A essência do tratamento é o controle da principal complicação da infecção que é a desidratação. Deve ser feita a reposição de líquidos com solução de reidratação específica. Atenção! não deve ser utilizado soro caseiro para promover a hidratação das crianças. Há muito erro no preparo do soro caseiro com risco de complicações pelo excesso de sais. Não deve ser feita restrição alimentar, a rotina alimentar da criança deve ser mantida. Dietas obstipantes podem reduzir o volume das fezes em alguns casos.

São sinais de desidratação: Sonolência, irritabilidade, muita sede, diminuição da diurese, boca seca, olhos encovados, ausência de lágrimas e perda da elasticidade da pele.

Não há indicação de uso de antibióticos. Eles não atuam contra o vírus. Os antitérmicos ajudam no controle da febre.

Para prevenir a infecção o mais indicado é lavagem de mãos e de objetos contaminados. Lavagem de brinquedos e utensílios de cozinha. Correta manipulação de alimentos e uso de solução desinfetante em frutas e legumes que vão ser ingeridos crus.

Há dois tipos de vacina contra o rotavírus. A vacina contra rotavírus monovalente faz parte do calendário do Programa Nacional de Imunizações e é administrada em 2 doses. A vacina contra rotavírus pentavalente é administrada em clínicas particulares e atua contra 5 sorotípos de rotavírus, é administrada em 3 doses. Ambas as vacinas protegem em algum grau os pacientes mas, como há vários sorotipos, uma criança vacinada pode contrair a infecção.

Voltar para Matérias