Testes de triagem ou “screening” são realizados em indivíduos sem sinais ou sintomas de doença. O objetivo do teste é detectar precocemente uma patologia e, assim, instituir o tratamento em tempo hábil de atingir um melhor resultado.

O teste do pezinho é feito a partir de gotas de sangue colhidas do calcanhar do recém nascido. Permite fazer o diagnóstico de diversas doenças, congênitas ou infecciosas, e deve ser colhido na primeira semana de vida.

Assim como acontece com os outros testes de screening, o resultado do teste do pezinho NÃO é definitivo. Os pacientes com valores alterados são reconvocados e novos testes laboratoriais são necessarios para a definição da doença.

A triagem neonatal beneficia o paciente diagnosticado precocemente e permite a ele um melhor prognóstico. Apesar disso, alguns recém nascidos submetidos ao teste terão resultado FALSO POSITIVO. Ou seja, o teste resulta alterado porém a criança verdadeiramente não tem a doença.

Nessa situação a criança será convocada a realizar novos testes que irão excluir a possibilidade de doença. Até o resultado final, o procedimento de recoleta e o tempo para análise dos exames é suficiente para gerar ansiedade e preocupação nos pais.

Para evitar o sofrimento desnecessário fica o recado: O teste do pezinho é um teste de triagem e, portanto, um resultado alterado não define doença. O pediatra pode trazer maiores informações sobre o resultado e orientar os pais de como proceder para esclarecimento do resultado.

Voltar para MATÉRIAS